Consequência da Mediunidade

O médium que se predispõe a viver de forma materialista, esquecendo seu compromisso, atrai outros espíritos que usam da sua mediunidade sem que ele perceba.
Pela visão espiritual, os espíritos inferiores têm a condição de saber nossos pensamentos, fraquezas e objetivos profissionais ou pessoais. Conhecem nossos sentimentos e procuram um meio mais propício para sugar a nossa energia como um alimento necessário para sua sobrevivência, e o nosso mentor espiritual em conjunto com os espíritos superiores não consegue nos ajudar por causa da barreira vibratória que criamos em volta do nosso perispírito e do próprio físico.
Estes casos são de grande escala, muito mais do que imaginamos. Uma parte mínima estará livre dessas influências negativas por já terem conquistado o equilíbrio espiritual sobre si mesmo, desenvolvido a fé em Deus e na sua própria eternidade, buscaram vivenciar os ensinamentos de Jesus Cristo, melhoraram o seu modo de pensar, procuraram ser mais positivos e ter objetivos espirituais de aprender a realidade da vida.

Porém, quando se vive por viver nosso corpo fica numa intensidade mais pesada, atraindo outros necessitados do nosso modo de ser e viver. Damos a oportunidade para que outros espíritos até inimigos remotos nos reencontrem, trazendo ódio em seu coração. Muitas das vezes este ódio se torna recíproco, criando vínculo forte para os dois lados.
A solução é receber como filho aquele espírito para amenizar o ódio e transformar em amor pela afinidade consanguínea, pois só o afeto de mãe ou pai para chegar ao objetivo que o Mestre nos ensinou que é ver seu semelhante como a si mesmo.
É comum você sentar num restaurante e dois ou mais espíritos degustarem juntos com você, aproveitando para curtir a vida, fumar, beber e aproveitar o sexo. Você sempre está acompanhado e sua vitalidade sendo sugada por ter perdido o verdadeiro equilíbrio. A vida física vai passando e na hora do desencarne, ao deixar o corpo, pela mesma atração, você se reunirá com estes irmãos desencarnados se tornando um prisioneiro de si mesmo, praticando a mesma obsessão da qual foi vítima e passará a se arrastar pelos umbrais do nosso planeta igual a um verme em busca de sua sobrevivência.
Poderá ficar nos umbrais por séculos até a nova oportunidade de reencarnar e chegando esta nova chance que Deus determinou, terá a oportunidade de melhorar ou voltar pior do que veio. Você tem o livre arbítrio, mas a colheita dos seus atos só lhe pertence.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *