Minha Revolta

O nosso problema está na convivência do lar. O marido se acha no seu direito de acordo com seu modo de ser, entendimento da vida, o exemplo e a educação dos seus pais e sua esposa, da mesma forma, então os filhos assimilam isso no seu desenvolvimento até chegarem à idade adulta e terem que batalhar por si.
Quando adultos, não diferenciam muito do mesmo conceito dos pais, vêem a vida de acordo com seu entendimento, mostrando sua índole com mais força e buscando seu caminho, seja bom ou ruim. Os filhos fazem reclamações como qualquer pessoa, exigindo coisas que, muitas vezes, seus pais não poderão lhe dar por motivos pessoais ou familiares.
A revolta começa a minar as mentes desses espíritos e criar um ódio ou antipatia gratuita entre ambos os envolvidos. Ninguém tem o direito de exigir nada do outro se este não quiser.

As coisas deveriam ser espontâneas, mas o orgulho e a prepotência, muitas vezes, se prevalecem, tornando as pessoas inimigas e assumindo compromissos cármicos para as futuras reencarnações para que voltem juntos a conviver e a se amarem de forma neutra pelos laços consangüíneos. Quanto maior o ódio, mais juntos estarão até aprenderem se harmonizarem, e o laço criado no passado tem que ser desatado no futuro para que ambos sejam livres e possam seguir suas evoluções conscientes e eternas.
As revoltas mostram o estado mental que esse espírito vive formando dentro de si que é um verdadeiro vulcão a jorrar larvas por todos os lados.
Busquem seus próprios caminhos, usem o seu bom senso e o livre arbítrio, deixem o passado e busquem viver o presente. O sofrimento de hoje pode ser sua libertação do amanha, só depende de cada um fazer seu próprio caminho.
No planeta Terra, o homem só semeou discórdias, mortes, cobiças, intrigas, desavenças, corrupções, assassinatos, roubos e outros fatos do cotidiano. Agora estamos colhendo o que foi semeado, então mudem a si mesmos e busquem mudar o quadro do planeta para fazer dele o mundo em que vocês sonham.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *